Compartilhe
Share on Facebook
Facebook
0Tweet about this on Twitter
Twitter

“Quem está sem pecado é feliz”, disse Padre Pio para uma criança: um câncer estava esperando por ele

Matteo Farina, nascido em Brindisi, em 19 de setembro de 1990, descobre com apenas 13 anos que ele tem uma forma grave de câncer no cérebro .

Em setembro de 2003, após um feliz e despreocupado verão, Matteo inicia sua jornada através da doença, com fortes dores de cabeça e estranhos problemas de visão.

Aos nove anos o Padre Pio aparece em seus sonhos e lhe diz: “Quem está sem pecado é feliz”.

Nessa ocasião, ele ainda não imaginava que um câncer o estava esperando.

Então vem a adolescência e a doença: um câncer no cérebro que durará seis longos anos. Uma cruz que Matteo Farina não só aceita, mas vem a desejar e amar com todo o seu ser. Oferece tudo para a conversão e salvação dos jovens.

“Se você conseguiu entender que quem está sem pecado é feliz , você deve fazer com que os outros o entendam, para que todos possamos entrar juntos, felizes, no reino dos Céus.” Assim, em uma noite fria entre 2 e 3 de janeiro de 2000, Matteo vê Padre Pio em seus sonhos .

Ele é apenas um menino de 9 anos de idade, mas as palavras que o Santo de Pietrelcina comunica o sacode para dentro de modo que, em um instante, sua missão é clara: a conversão dos jovens.

“Você gostaria de gritar ao mundo que você faria tudo pelo seu Salvador, que você está preparado para sofrer e morrer por Ele. Você terá a possibilidade de mostrar seu amor …”.

Esse desejo que o menino amadurece com paixão, dia após dia, parece uma verdadeira profecia. Isto vai realmente acontecer: paralisado e preso no leito de sofrimento, como Jesus na cruz, Matteo oferece sua longa doença, até as últimas gotas de vida “para a salvação das almas e pela conversão dos pecadores”.

Ele começa, acompanhado por seus pais e seu tio Rosario, uma série de controles: primeiro na Itália, nos hospitais de Avellino e Verona e, mais tarde, na clínica INI em Hannover, onde ele passa por uma operação cerebral para fazer uma biópsia.

O veredicto é implacável: tumor cerebral em grau III. Há altos e baixos e, com a esperança concreta de uma cura física, Matteo é operado três vezes no cérebro devido ao aparecimento de três recidivas. Os ciclos de terapia são inumeráveis. Eles são seis longos anos viajando pela Via Crucis .

Tudo isso dito, se alguém o imagina uma criança angustiada e triste, engana-se. Matteo irradia luz , as terríveis febres que o atingem não são nada com a febre da vida que se espalha para todos ao seu redor. É isso que ele escreve em seu diário enquanto a doença afeta cada vez mais sua vida cotidiana:

– “Estou vivendo uma daquelas aventuras que mudam sua vida e a dos outros, ajuda você a ser mais forte e crescer, especialmente em fé (…)”. Esse é o diário de um menino de treze anos .

A doença e o penoso tratamento é uma cruz que Matteo não só aceita, mas também ama com todo o seu ser.

Nos últimos tempos, quando já está acamado porque os membros e vários órgãos não respondem, repete para a mãe: ” Devemos viver cada momento como se fosse sempre o último, mas não com a tristeza da morte , com a alegria de estar sempre pronto para encontrar o Senhor nosso Deus”.

Nas noites de enorme sofrimento – quando os médicos anunciam a quase morte e, portanto, relatam a suspensão de qualquer tipo de tratamento -, é a mãe que, conhecendo bem a alma de seu filho, fala por ele: “Não, você continua tentando e faz todo o possível até o último momento.”

Matteo, de fato, com grande firmeza, sempre repetiu: “A vida deve ser defendida até o último momento!”.

*   *   *

Compartilhe
Share on Facebook
Facebook
0Tweet about this on Twitter
Twitter

Clique aqui para confirmar o seu SIM


3 Comentarios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


<< Post Anterior:

Próximo Post: >>