Pela salvação das almas dos Ministros do STF, rezemos ao Senhor.

Que Nosso Senhor Jesus Cristo, na cruz, no alto da parede, ilumine nossos ministros para que eles defendam a vida.

por Inácio do Carmo

Eu não sou sacerdote. Não fui chamado para esse grupo de almas de eleição.

Sou apenas um pai de família, católico praticante, que segue os preceitos de nossa Santa Religião, e que teve a chance de estudar catecismo em outros tempos. Quando padres e freiras se esforçavam para nos ensinar com precisão a verdadeira Doutrina Católica.

Portanto, a análise que aqui farei, não tem a pretensão de ser uma análise moral-teológica, pois o caso que veremos viola muitos outros Mandamentos de Lei de Deus do que apenas o 5º: “Não matarás.”

Então vamos lá.

O que vai acontecer com os Ministros do Supremo Tribunal se eles aprovarem o Aborto, como está na pauta para breve?

1. Eles estarão transformando em “legal” um procedimento criminoso, condenado pela Igreja com a pena de excomunhão;

2. Pena de excomunhão, que só pode ser perdoada em condições que vão muito além de ajoelhar-se diante de um padre e confessar “eu matei”;

3. Essa excomunhão aplica-se tanto para a mulher, que levava a pobre vítima em seu ventre para assassiná-la,  como para os eventuais amigos, companheiros ou maridos que a auxiliaram ou a influenciaram para cometer esse crime bárbaro, pois são todos cúmplices.

4. O médico assassino que realiza o aborto, bem como todos os que o auxiliarem nesse procedimento satânico, também são excomungados.

5. Se esse médico possui uma dessas clínicas da morte, com auxiliares, etc. Todos serão igualmente excomungados, e com agravantes, pelo fato de rotineiramente assassinarem inocentes.

6. Logo, se alguém tem o poder de permitir que esse assassinato se transforme em algo “legal”, essa pessoa estará, “ipso facto”, excomungada também e, se morrer sem o perdão da Santa Igreja, sua alma será lançada ao inferno, onde arderá no fogo eterno, com sofrimentos próprios à gravidade do seu crime.

Essa é a situação moral dos Ministros do STF.

Sejam eles religiosos, ateus, ou o que for. A Igreja os excomunga e, a partir do momento em que o voto macabro for concluído, TODOS ELES serão responsabilizados por cada criança que morrer abortada, beneficiada por essa sentença.

Serão milhões de assassinatos que carregarão em suas costas. É assim que aparecerão diante do verdadeiro Supremo Tribunal, o do Deus Justíssimo.

Mas, alguém me perguntará: e se algum deles votar contra? Ele carrega também esses crimes para o Juízo de Deus?

Deixo essa questão para teólogos e moralistas católicos. Não tenho autoridade para dizer que sim ou que não.

Mas o bom senso me leva a pensar que, se um rapaz faz parte de um grupo de amigos, e estes resolvem se tornar uma quadrilha de bandidos, que passa a roubar e assassinar, ele deve abandonar essa companhia, mesmo que não participe diretamente dos crimes. Pois tendo conhecimento de tudo o que se passa e não abandonando aquele grupo ele também se torna cúmplice. Portanto, será ladrão e criminoso como os outros.

Então você está dizendo que se um dos ministros votar contra o Aborto e assim mesmo ele for aprovado por maioria, ele, ministro, estará na idêntica condição desse rapaz hipotético, que continua amigo dos bandidos mesmo conhecendo seus crimes e suas tendências?

Como disse, não sou capaz de responder questão tão imbricada de razões, atenuantes e graus de culpa.

Mas com certeza, se ele retirasse sua toga – transformada em avental de açougueiro humano – e abandonasse o STF, num grande gesto de protesto, além de entrar para a História como herói (quiça mártir), estaria atraindo de Deus graças proporcionais, ou até maiores, que as desgraças que pesarão sobre os outros.

Se os que aprovaram o assassinato de inocentes, passariam a carregar sobre si a responsabilidade de milhões de crimes cometidos anualmente, este – o nosso herói – apresentaria para Deus o mérito de um amor que ultrapassa seus próprios interesses, além do exemplo de uma posição em defesa da vida, demonstrado publicamente – por uma alta autoridade

Por isso, rezemos pelos nossos Ministros do STF.

Eles estarão julgando a própria salvação.

 

Assine aqui o Apelo ao STF:
Não matem crianças inocentes
Compartilhe
Share on Facebook
Facebook
47Tweet about this on Twitter
Twitter

3 Comentarios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


<< Post Anterior:

Próximo Post: >>