Compartilhe
Share on Facebook
Facebook
530Tweet about this on Twitter
Twitter

General do Exército é repreendido severamente pelo Padre Pio

Em fevereiro de 1958 (ou 59) um ex-general do exército reformado, Tosi de Voghera, foi para S. Giovanni Rotondo conhecer Padre Pio.

O ar estava gelado. No caminho para subir ao convento ele avançava com dificuldade por causa das violentas rajadas de vento que tiravam o fôlego. Após uma meia hora de sofrimento chegou ao pequeno santuário de Santa Maria delle Grazie, e viu então o vulto de um frade: era Padre Pio que o esperava na porta da igreja.

O Santo o deixa entrar para que possa se abrigar e, indicando com o dedo o redemoinho da neve que une o céu com a terra diz: «Olhe-os. Encare-os. Os seus soldados! Você deixou que os fuzilassem todos!».

Tocado, sem palavras para replicar, como que repuxado, encontrou-se novamente no meio da tempestade. Enquanto se afastava o vento levou seu chapéu. mas uma moça o apanhou. «Vamos descer juntos?», disse-lhe entregando o chapéu.

Confortado por aquela presença delicada e gentil, ofereceu o braço para aquela criatura e sentiu a necessidade de conversar.

Contou seu encontro com Padre Pio e a dura reprimenda. «Eu dizia era somente o presidente do tribunal. Havia o acusador, havia o tribunal, haviam graves fatos de deserção e outros crimes». E falava, falava, como se quisesse se livrar da condenação que há pouco havia recebido do Santo. Estava num estado de grande agitação.

Chegando no hotel, o general agradeceu a gentil e ocasional boa companhia, acrescentando: «Vou pegar a mala e vou embora…desesperado».

Vai para o quarto, recolhe os poucos objetos pessoais e pede ao porteiro que lhe chame um táxi. O táxi chega imediatamente. Sobe no carro e grita: «Foggia, estação ferroviária».

O motorista percorre a avenida dos Capuchinhos, entra na cidade e, no cruzamento central, em vez de ir para a direita em direção de Foggia, continua reto rumo a Monte Sant´Angelo.

Chegando frente ao cemitério, o motorista para e diz: «Pronto, o senhor chegou. Pode descer».

«Eu disse que me levasse a Foggia», grita o general, acostumado a ser obedecido. ‘

«Sim, mas o senhor chegou», responde o outro com toda calma.

O homem, agitado e fora de si, fica paralisado: na voz do motorista, cujo rosto não consegue ver, ele ouve o sotaque e o tom de voz de Padre Pio.

Após alguns instantes de silêncio, diz: «Leve-me de volta ao hotel, por favor». O outro obedece.

*   *   *

Compartilhe
Share on Facebook
Facebook
530Tweet about this on Twitter
Twitter

Clique aqui para confirmar o seu SIM


2 Comentarios

  • Nada é por acaso. Hoje acordei de madrugada como de cosuume e em brz de ligar a tv ou fazer meu bordado para preencher meu tempo, peguei meu celular. Ao entrar no facebook vi entre outras postagens, que minha irmã havia curtido a página sobre este testemunho sobre uma graça do Padre Pio com relação à cura da menina Giovana . Imediatamente li com atenção toda a narrativa da mãe dessa menina e com fé me inscrevi e imploro ao Padre Pio que interceda junto a Jesus pela união da minha família novamente. Tenho 5 filhos e um enteado , mas estão muito afastados entre si. Vou completar 70 anos e meu esposo 76. Meu esposo é muito frágil psicologicamente falando, depressivo, tornou-se “um filho” pra mim . É acumulador de coisas dentro de nossa casa, inseguro, instável emocionalmente e por estas razões me vejo sem saída pra tomar decisões. Estou recorrendo com fé ao Santo Padre Pio pra que este ciclo de dificuldades pelad quais estou passando seja superado, que o inventário de minha sogra seja concluído, pois o mesmo se arrasta há anos. Irei divulgar as graças que me forem concedidas para honra e glória do Padre Pio em nome do Senhor Jesus! Estou confiante! Deus seja louvado! Assim seja!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


<< Post Anterior:

Próximo Post: >>