Veja como foi o processo de estigmatização do Padre Pio

No dia 20 de setembro de 1915, enquanto o Padre Pio rezava, de repente sentiu uma dor lancinante, à maneira de queimadura, nas mãos, nos pés e abaixo do coração. Mas olhando para essas partes do corpo, não se percebeu lesão nenhuma. Quer dizer, ele tinha recebido cinco estigmas invisíveis.

Exatamente três anos mais tarde, enquanto meditava diante de um crucifixo na Paixão e Morte de Nosso Senhor, pediu a graça de participar dos sofrimentos de Jesus. Nesse momento recebeu os cinco estigmas visíveis.

Numa carta, o próprio Padre Pio relata o seguinte:

“Tudo aconteceu num instante. Vi na minha frente um misterioso personagem que tinha as mãos, os pés e o peito emanando sangue. A visão me aterrorizava, e não saberia descrever o que senti em mim naquele instante.

“Senti-me desfalecer, e morreria se Deus não tivesse intervindo para sustentar o meu coração, o qual sentia saltar-me do peito.

”A visão do personagem desapareceu, e dei-me conta de que minhas mãos, pés e peito foram feridos e jorravam sangue. Imagina o suplício que experimentei então, e que estou experimentando continuamente todos os dias.

“A ferida do coração continuamente sangra. Começa na quinta-feira pela tarde, até sábado. Eu morro de dor pelo suplício e confusão que experimento no mais íntimo da alma.

“Temo morrer exangue (debilitado), se Deus não ouvir os gemidos do meu pobre coração, e não tiver piedade de retirar de mim esta situação”.

A estigmatização do Padre Pio, longe de despertar compaixão e pena em relação a ele (porque aquilo acarretava evidentemente muita dor), deu origem a desconfianças, calúnias e zombarias, no sentido de que ele seria um histérico ou um louco vaidoso que artificialmente fez cinco feridas em seu corpo e as mantinha abertas com ajuda do demônio. Quer dizer, ao sofrimento físico do Padre Pio somou-se o sofrimento moral.

Os rigorosos exames médicos aos quais ele foi submetido chegaram às seguintes conclusões:

– O sangue flui ininterruptamente das feridas, fato que teria matado um gigante em poucos dias, mas que, em se tratando do Padre Pio, não impede que ele leve uma vida inteiramente sadia e normal.

– As cinco lesões são verdadeiras e reais. Sua persistência, suas características anatomopatológicas, o constante fluxo de sangue muito vermelho e muito perfumado, a localização que coincide com partes do corpo em que Nosso Senhor foi crucificado, são fatos que não podem intrigar a ninguém, a não ser àqueles que não têm Fé nem religião.

Fonte: Padre Pio – vida, milagres e orações de Giovanni Cavagnari

O sextO estigma

Nosso Senhor Jesus Cristo compartilhou suas feridas com Padre Pio, inclusive a ocasionada pela cruz que carregou na Paixão e a qual perfurou seu ombro.

De todas as chagas recebidas, a marca do ombro era um dos ferimentos em que ele mais sentia dor.

Padre Pio carregou seus estigmas durante 50 anos.

*   *   *

Clique na imagem abaixo e seja um Filho Protegido do Padre Pio. Participe desta abençoada família!


3 Comentarios

  • E lindissimo o amor e paixao do Padre Pio por Jesus, mas ele proprio quiz participar dos sofrimentos de Jesus e, ele os deu.
    Ate hoje é e será perpetuamente lembrado este Santo homem que nos leva a amar cada vez mais pela palavra do Senhor.

  • E lindissimo o amor e paixao do Padre Pio por Jesus, mas ele proprio quiz participar dos sofrimentos de Jesus e, ele os deu.
    Ate hoje é e será perpetuamente lembrado este Santo homem que nos leva a amar e praticar cada vez mais pela palavra do Senhor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


<< Post Anterior:

Próximo Post: >>