“Se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em casa e cearei com ele, e ele comigo”

Numa das aparições a Santa Faustina, Nosso Senhor fala dos sofrimentos que lhe causam a infidelidade e os pecados dos sacerdotes e dos religiosos. “Os pecados da alma eleita transpassam o meu coração”.

A Irmã Faustina queria interceder pelos padres e pelos religiosos, mas não encontrava palavras para sua defesa, e o coração dela doeu muito, o que a fez chorar com amargura.

Então, o Senhor olhou-a com bondade e consolou-a com essas palavras:

“Não chores, ainda existe um grande número de almas que me amam muito, mas o meu coração deseja ser amado por todos, e porque o meu amor é grande, por isso os ameaço e castigo (D. 1702-1703)

“Quanto a mim, repreendo e educo todos aqueles que amo. Recobra, pois, o fervor e converte-te! Eis que estou à porta e bato: se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em casa e cearei com ele, e ele comigo” (Ap. 3: 19-20)

Não deixemos para depois, nem para amanhã, a gratidão que Deus espera de nós. Termine aquele Terço que começou e não levou até o fim.

Vá a uma Igreja e reze lá, mesmo que não tenha amizade com nenhum paroquiano, mesmo que não conheça ninguém lá, vá por Jesus Cristo, vá por Nossa Senhora, vá pelo seu Anjo da Guarda que nunca descuida de você.

Pegue para ler aquela vida de Santo que está em sua estante faz meses.

Empreste o ouvido para algum coração muito dolorido que precisa do alívio de uma atenção amiga e silenciosa. Ajude na coleta da Missa, não apenas com centavinhos para desencargo de consciência.

Sabendo de alguém que precisa de alguma ajuda que pode oferecer, vá, e ao se despedir, diga “Que Jesus vele por ti”, ou “Que Nossa Senhora te guie!”.

Façamos um pouco mais do que o hábito, não tenhamos medo de nos expor por Ele.

Mesmo um pequeno gesto, desde que sincero, e que timbre pela Verdade, é capaz de acender a alma do próximo, como tantas vezes fez a Irmã Faustina, que sabia de suas limitações, mas não se deixava deter por isso, pois estava com o Rei dos Reis, o Deus Vivo!

Compartilhe
Share on Facebook
Facebook
105Tweet about this on Twitter
Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


<< Post Anterior:

Próximo Post: >>