Escola para crianças no Líbano dá educação em meio ao terrorismo islâmico

Muitos não tem idéia. Mas a tragédia humana que vem ocorrendo no Oriente Médio, vitimando os cristãos, não é de hoje.

Os mais afetados pelo grande morticínio que ocorre em nações vizinhas à Terra Santa são as crianças católicas.

Governos totalitários como os da Síria, por exemplo, perseguem aqueles que estão marcados desde o Batismo com o Calvário de Nosso Senhor.

Os agentes do diabólico Alá, divindade de invenção humana, perseguem os cristãos de várias formas.

Como o governo e a cultura são anticristãos, a moldura em que vivem os perseguidos é apta a prejudicá-los em termos de renda, na frequência à Igreja, e em serem cidadãos com alguma dignidade.

O exército de Alá não poupa os bons!

Mílicias islâmicas armam tocaias nas casas de famílias que seguem a Jesus e Nossa Senhora, fazem depredações e provocam incêndios em escolas cristãs, sem contar os ataques com bombas.

Grupos como o “Observatório da Cristianofobia”, ao lado da “Associação Pró-Terra Santa” e a “Organização dos Franciscanos da Custódia da Terra Santa”, estão juntos no projeto “Ajuda a crianças sírias sem escola”, naquele contexto de desamparo e emergência.

O mencionado projeto têm sede na “Escola da Imaculada Conceição”, que é particular, e se dedica à educação de cerca de 500 meninos e meninas cristãos no distrito Ashrafiyyeh, Beirute.

Essa uma das poucas escolas privadas no Líbano que acolhe refugiados, a maioria sendo sírios que se converteram à fé católica, e que não querem voltar à sua antiga vida na violência e no obscurantismo em que nasceram.

Crianças sitiadas pela violência!

Estima-se que 40% das crianças refugiadas não têm acesso a nenhuma forma de educação e estão expostas a violência física e psicológica, trabalho infantil e exploração, casamentos precoces e recrutamento obrigatório por grupos islâmicos.

O Líbano atualmente abriga mais de 1 milhão de refugiados sírios, de uma população de 4,2 milhões. São 58% de refugiados vivendo abaixo da linha da pobreza.

A maior parte dos meios de comunicação do Ocidente silencia sobre a matança inclemente de famílias inteiras pelo motivo de amarem a Santa Missa, o Santo Rosário, o Santíssimo Sacramento e os Evangelhos de amor e misericórdia que Jesus Cristo nos revelou pelos Apóstolos.

Mães e crianças participam de atividade escolar de dia.
Escola da Imaculada Conceição, em um distrito de Beirute, no Líbano

Contra a omissão da mídia, a oração!

Infelizmente a mídia tira esse assunto de suas pautas porque querem fazer acreditar que um mundo sem a Igreja Católica seria melhor. A arma da omissão é habilmente usada por quem noticia e opina para as grandes massas.

Não é de desesperar um cenário desses? Diante disso, pedimos, com insistência, a quem lê estas linhas que coloque os refugiados cristãos do Oriente Médio em suas orações, nas intenções da Santa Missa, na récita do Santo Rosário, e fazendo comunhões pela conversão dos pagãos e dos hereges.

Não esquecer também de rezar pela conversão e proteção dos profissionais da comunicação. Muitos jornalistas acabam se tornando algozes nessas situações trágicas.

Vale rezar também a todos os missionários que estão em áreas de guerra para que continuem esse apostolado para tirar da miséria espiritual e material quem perdeu tudo. Eles estão sempre sob a mira de armas e bombas, mas não desistem de resgatar o semelhante perseguido e humilhado.

A oração têm uma força imensa. Precisamos rezar com vista à melhoria da situação do próximo, como a das famílias católicas da Síria. O efeito é cada vez mais profundo e move em Deus a vontade de converter quem espalha o mal.

Acenda aqui uma vela na Capelinha do Padre Pio pelos católicos perseguidos no mundo inteiro.

Compartilhe
Share on Facebook
Facebook
6Tweet about this on Twitter
Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


<< Post Anterior:

Próximo Post: >>