«As suas boas ações são como os vaga-lumes, raramente aparecem e para serem vistos é preciso que haja uma noite tenebrosa!”

Um dia aproximou-se do Padre Pio o senhor Giuseppe Pezzini de Bolonha que disse: «Padre, gostaria de me confessar».

E o Santo, após tê-lo olhado por alguns instantes com os olhos que perscrutavam em profundidade, respondeu: «Você não percebe como está preto?».

«Sim, Padre, mas alguma boa ação na minha vida eu devo ter feito!».

Responde Padre Pio: «As suas boas ações…, são como os vaga-lumes, raramente aparecem e para serem vistos e preciso que haja uma noite tenebrosa! Vá para casa e volta daqui a três meses, então o confessarei».

Mas depois de uma pausa advertiu: «Prepare-se para sofrer». Giuseppe, quando os dois frades se afastaram, teve uma reação de rejeição daquela realidade que não lhe era familiar : que acabava de conhecer.

Visto que viajava muito e ia com frequência para a Puglia, sua familia havia-lhe aconselhado ir visitar aquele frade extraordinário e santo. Haviam-lhe dito que no fundo não iria lhe custar nada. E em vez havia sido como uma paulada.

Deixou S. Giovanni Rotondo com o propósito de nunca mais voltar, mas, chegando em Bolonha, começou a sentir-se atormentado por aquela expressão de despedida do frade: “Prepare-se para sofrer“.

O que ele queria dizer com isso? Uma profunda inquietude toma o lugar da curiosidade quando, num controle médico, descobrem-Ihc um câncer na garganta.

Lembra-se porém que o tom de voz de Padre Pio, que abria-Ihe a visão do futuro, tinha uma inflexão paterna. E além disso, o Padre não o havia convidado a voltar?

Giuseppe volta então junto ao Santo que o conforta e o coloca novamente na graça de Deus com uma boa e salutar confissão. Aquele homem parece outra pessoa, torna-se humilde e entrega-se totalmente àquele frade que se torna seu pai espiritual.

De volta para casa é obrigado a sofrer uma cirurgia. Parece ter ido tudo bem mas depois de alguns anos os médicos aconselham uma nova cirurgia, pois a doença voltou.

Tendo-se tornado familiar ao Padre, não move um passo sem ouvi-lo. E nesta ocasião também o consulta mas o parecer do Santo é totalmente contrário ao do cirurgião: «Irão lhe tirar somente as cordas vocais. Agora você deve ficar longe do bisturi ».

Quando o pobre paciente referiu ao médico o parecer de Padre Pio este respondeu: «Diga ao seu protetor que a função dele é de frade e não de médico».

Pezzini porém obedece ao Padre e não se opera.

Nos anos que seguem o doente percebe que todos os seus companheiros de doença, operados novamente, haviam morrido. Está sossegado e a todos diz: «Padre Pio já me doou alguns anos de vida. Que mais posso desejar?».

Vai com frequência a S. Giovanni Rotondo. Mas a doença avança. Na fase terminal está internado na clínica Mangiagalli de Milão onde os Capuchinhos celebram a missa todas as amanhãs e, passando pelos corredores, comunga o alívio aos doentes.

*   *   *

Neste relato vemos a intransigência do Padre Pio com o pecado, mas a vontade de salvar o pecador, o que, com efeito, ele conseguiu.

Nós também podemos nos colocar sob a proteção desse Santo. Ele, que na terra ouvia os pensamentos de seus devotos, imagine como deve ser no céu.

Dica para você sempre se lembrar de pedir as coisas ao Padre Pio:

http://www.protegidosdopadrepio.com.br/capelinha

Lá você pode colocar intenções na missas que são rezadas todas as quinta-feiras, enviar mensagens através do Correio  do Padre Pio e ainda ver filmes inéditos sobre o Santo.


2 Comentarios

  • Há algo que não sei bem explicar, que me une ao Santo Padre Pio! Não sei se pelo fato de que eu, nascido aos 11 de setembro, meu pai aos 24 e meu avô paterno, aos 25 desse mesmo mês, em que no dia 23, Santo Padre Pio partiu para a glória de Deus Pai ou por ter assistido um vídeo de sua vida… Só sei que nos desígnios do Divino Pai Eterno, existe um propósito e isso é o que importa e nos interessa!

    • Caro Sr. Antonio, o que o sr. nos conta é muito similar a muitos que nos acompanham e aos diretores da Associação. Ele começaram vendo um filme sobre o Pe. Pio, um resolveu ir a San Giovanni Rotondo e pronto… começou uma ligação especial onde parece que ele faz parte de nossa vida. Vamos, juntos, participar dessa divulgação da devoção a ele. Acho que é o melhor que o sr. e nós podemos fazer. Abraços, pedimos suas orações e que o Pe. Pio continue sempre perto do senhor e de sua família.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


<< Post Anterior:

Próximo Post: >>