A Guarda Suiça se extingue e o Vaticano procura mais soldados

(Jorge Sandoval G., EFE)

Cidade do Vaticano – O exército do Vaticano procura soldados. O recrutamento entre os jovens suíços para fazer parte da Guarda Suíça está subitamente se tornando mais difícil do que o previsto.

Os tempos mudam e, para muitos jovens suíços, a guarda do patrimônio  do Estado papal e das cerimônias papais parece ter perdido seu atrativo. Nisso pesa também o salário de 1500 euros, considerado baixo se comparado com a média dos salários em francos suíços.

Sem contar o cansaço dos pesados ​​turnos exigidos, ficando praticamente imóvel ao montar a guarda ao ar livre com qualquer clima e sem mostrar fadiga.

A isto se soma o efeito da secularização, um fenômeno estendido que não encoraja as novas gerações a cultivar essa tradição de fé como nas décadas passadas. Em outras palavras, o mito do Vaticano e do serviço à Igreja de Roma está um pouco manchado.

“Para os gendarmes do Vaticano os pedidos aumentam, também porque para eles é uma posição fixa, enquanto que para os guardas suíços é um serviço voluntário que dura dois anos. Uma vez terminados, eles retornam para casa e têm que procurar emprego, embora a experiência no Vaticano possa ajudar qualquer um que queira entrar em uma agência de segurança “, disse o comandante da Guarda Suíça, Cristoph Graf, em entrevista a um jornal.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


<< Post Anterior:

Próximo Post: >>